Tarifas aeroportuárias da Infraero são atualizadas

Tarifas aeroportuárias da Infraero são atualizadas

A Anac- Agência Nacional de Avião Civil, autorizou um reajuste de 5,39% nas tarifas aeroportuárias dos aeroportos brasileiros. As novas tarifas poderão ser praticadas a partir de 15 de fevereiro.

O percentual definido pela Anac vale para os tetos das tarifas de embarque, de conexão de passageiros, de pouso e de permanência de aeronaves. Já os tetos das tarifas de armazenagem e capatazia de cargas foram reajustados em 3,74%.

De acordo com a Agência, o índice foi calculado considerando a inflação acumulada entre dezembro de 2017 e dezembro de 2018, medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo do IBGE) mais o fator de produtividade, no caso das tarifas de embarque, conexão, pouso e permanência.

Aeroportos administrados pela Infraero

Com o reajuste dos tetos tarifários, a tarifa máxima de embarque doméstico a ser paga pelos passageiros passará de R$ 31,27 para R$ 32,95, e a tarifa máxima de embarque internacional passará de R$ 112,83 para R$ 115,82. Esses valores se aplicam a todos os aeroportos administrados pela Infraero.

Aeroportos concedidos

No caso dos aeroportos concedidos à iniciativa privada, pode haver uma variação no valor das taxas. Veja como vai ficar:

Quem tem passagem já comprada para voar após o reajuste não precisa se preocupar. Vale o valor da taxa de embarque vigente no momento da emissão do bilhete.

Lembrando que a tarifa de embarque é a única paga diretamente pelo passageiro e tem a finalidade de remunerar a prestação dos serviços, instalações e facilidades disponibilizadas aos passageiros. As demais tarifas aeroportuárias são valores pagos pelas companhias aéreas aos administradores dos aeroportos. Essas tarifas correspondem aos procedimentos de conexão, pouso, permanência, armazenagem e capatazia dentro dos aeroportos. Mas, de uma forma ou de outra, também acabam sendo repassados aos passageiros.

Mais informações no site da Anac.