A antecedência ideal para comprar passagens aéreas

A antecedência ideal para comprar passagens aéreas

Levantamento do buscador de voos e hotéis Viajala mostra que a antecedência ideal para comprar bilhetes para os principais destinos nacionais é de cerca de dois meses. Entre cinco meses a dois meses antes da viagem o preço do bilhete fica praticamente estável”, diz Eduardo Martins, diretor do Viajala no Brasil.

Já entre dois meses a três semanas antes da viagem os preços sobem, em média, 8%. “É um aumento leve”, diz o executivo. No caso de uma passagem de 600 reais, essa variação equivale a 48 reais. Ou seja, pode valer a pena esperar um pouco mais para ter mais folga no orçamento e não correr o risco de pagar juros por um empréstimo, caso o viajante se depare com gastos imprevistos e o orçamento fuja do controle.

É a partir de três semanas antes da data da viagem que os preços começam a oscilar de forma expressiva e, como consequência, o risco de pagar mais pelo bilhete fica maior. “Então, continua valendo a dica de que é necessário um planejamento mínimo para economizar na compra das passagens”, complementa o executivo do Viajala.

O consumidor que compra sua passagem com antecedência de uma a três semanas em relação à data da viagem paga, em média, 27% mais do que o que compra com dois meses de antecedência ou mais. Já quem deixa a compra para a última semana paga, em média, 52% mais do que quem planeja a compra com dois meses ou mais de antecedência. “Há quem deixe a compra para a última hora esperando por uma grande promoção. Mas grandes promoções de última hora são exceções. É um grande risco esperar por elas”, explica Martins.

A pesquisa analisou voos de ida e volta em rotas nacionais populares, como Rio-São Paulo, Recife-São Paulo, Porto Alegre-Rio de Janeiro, São Paulo-Salvador, Porto Alegre-São Paulo, Brasília-Rio de Janeiro e Brasília-São Paulo. Foram analisadas mais de 500 mil buscas de voos feitas entre 22 de janeiro de 2017 e 22 de janeiro de 2018 no site.

Alta e baixa temporada e dias mais baratos para voar

O mês escolhido para a viagem tem mais impacto no preço da passagem aérea do que o dia da semana. E, em alguns meses do ano, não importa a antecedência da compra: o viajante vai pagar mais caro pelo bilhete.

Quem viaja na baixa temporada, principalmente nos meses de março, abril e agosto, paga em média 25% menos do que quem viaja na alta temporada, nos meses de janeiro, julho e dezembro, independentemente do tempo de antecedência da compra.

Já a diferença média entre os dias mais caros e os mais baratos para viajar é de 7%. Os preços mais baixos encontrados pelo buscador são voos com partidas nas terças, quartas e quintas-feiras. Já os preços mais altos encontrados são voos com partidas nos sábados, domingos e segundas-feiras.

O mês mais caro observado para viajar é dezembro, quando os preços já costumam ser, em média 32% mais caro que todos os outros meses do ano, independentemente do tempo de antecedência da compra.

Mas não basta escolher o período de baixa temporada para economizar no bilhete: também é necessário estar atento a feriados e datas comemorativas no destino escolhido, diz Martins. “Eventos que atraem turistas podem aumentar o preço das passagens”.

É importante também verificar o clima do destino escolhido para não cair em ciladas e pegar uma época de chuvas fortes, por exemplo, só para economizar. “Sempre há um meio termo entre a baixa e a alta temporada nas regiões brasileiras, quando o preço fica mais baixo, mas o clima ainda é bom para viajar. É esse meio termo que o viajante deve buscar”, conclui o executivo.

Fonte: Revista Exame